Para que serve uma divisória?


Na hora de escolher uma divisória existem alguns pontos cruciais a serem analisados. É importante verificar a função do ambiente, sua utilização, respectivas necessidades e se as divisórias estão de acordo com as normas regulamentadoras brasileiras. Verificar se elas atendem as expectativas das pessoas envolvidas no espaço, como os funcionários. Também ajuda a adquirir um produto cuja relação custo/benefício seja satisfatória.

Outro ponto crucial é saber se o ambiente será utilizado por um longo tempo; em caso afirmativo, pode-se empregar divisórias fixas ou painéis de gesso. Esses produtos são mais baratos que os modelos que incorporam grande quantidade de atritos. Para dispor as divisórias no ambiente é importante prestar atenção na posição das luminárias no forro, de forma a deixar o ambiente mais claro nos espaços onde se concentra maior número de pessoas. O fluxo do ar condicionado também deve estar situado de modo a não comprometer o seu desempenho.

A principal função das divisórias ainda continua sendo a compartimentação e racionalização dos espaços.

Modificam o ambiente, pois dividem o espaço de acordo com as necessidades do momento. Assim, salões como os de convenções e os comerciais podem ser transformados em diversas salas, cada uma com o tamanho adequado para o que se destina, seja um escritório ou um pequeno local de reuniões.

Para cumprir a função de ser uma parede removível, as divisórias são fabricadas observando um princípio básico: devem proporcionar alto isolamento acústico, pois de nada adianta dividir um espaço se não for possível realizar dois ou mais eventos diferentes no mesmo momento.

O grau de proteção contra ruídos depende do material que compõe a estrutura interna dos painéis. Esse miolo pode ser de lã de rocha ou outro material que tenha a mesma função. As divisórias são fixadas em trilho aéreo de alumínio, o que permite a movimentação. Entre o trilho e a laje, se necessário, é construída uma parede (septo) acústica